Mortes no trânsito sobem 30% nos feriados prolongados

Os feriados prolongados exigem ainda mais atenção no trânsito. Segundo dados levantados pelo setor de estatísticas do Observatório Nacional de Segurança Viária, há um crescimento de 30% no número de acidentes de trânsito com mortes em datas comemorativas como Carnaval, Páscoa e Finados, entre outros.

Com mais veículos circulando, além da combinação do uso de bebidas alcoólicas, excesso de velocidade, ultrapassagens em locais proibidos, desatenção e atos imprudentes, os acidentes acontecem com mais frequência. Em 2018 serão, pelo menos, 8 feriados prolongados.

Somente no Carnaval de 2015, última referência de dados de acidentes com óbitos disponibilizados pelo Sistema Datasul, foram computadas 770 mortes nos seis dias de folia (de sexta-feira a quarta-feira de Cinzas), o que significa 128 mortes por dia. Esse número supera em 27% a média anual de óbitos em dias comuns.

Dirigir e beber está entre os cinco principais fatores de risco para a mortalidade no trânsito brasileiro. Ainda que o Código de Trânsito Brasileiro tenha endurecido as penas e punições para quem comete essa infração, muita gente opta por se arriscar na imprudência. De acordo com o Denatran, de cada motorista flagrado alcoolizado, outros 100 beberam antes de dirigir.

“Quando você bebe e pega o volante está assumindo o risco de matar, deve ser tratado como criminoso e sofrer as consequências e penalidades por isso”, destaca José Aurelio Ramalho, presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária.

Mortes-em-Feriados