Ex-deputado Carli Filho é julgado por acidente que não foi acidente

Quase nove anos depois e 33 recursos da defesa na Justiça, o ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho finalmente está sendo julgado por um júri popular pela morte de Gilmar Yared, de 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, de 20, em um “acidente de trânsito”, em Curitiba-PR.

Após consumir uma quantidade considerável de vinho, Carli Filho deixou o restaurante no qual jantou e assumiu o volante de seu VW Passat blindado. Minutos depois, ele literalmente decolava com o carro antes de atingir o Honda Fit em que estavam as duas vítimas fatais.

A perícia posterior constatou que Carli Filho estava a mais de 161 km/h no momento do acidente (o limite da via era 60 km/h)! Detalhe: a CNH estava estourada com 130 pontos e 30 multas. O caso é emblemático, pois pode abrir uma jurisprudência para que casos como esse sejam considerados como crimes dolosos (no qual o motorista assumiu a intenção de matar).

O “acidente de trânsito” do primeiro parágrafo está entre aspas, pois o DIREÇÃO LEGAL defende que o fato ocorrido em Curitiba não foi acidente. Nosso trânsito mata uma pessoa a cada 13 minutos. A cada dois minutos, um brasileiro fica com sequelas graves, vítima de atropelamentos, batidas, quedas de motos, entre outras tantas ocorrências. São mais de 40 mil mortes por ano!

E o mais cruel: 93% dessas ocorrências poderiam ter sido evitadas, pois foram e são causadas por falha humana (com ou sem dolo). Pratique a direção preventiva e se mantenha cada vez mais distante dessa alarmante estatística.

Depoimento de Carli Filho há dois anos

Resposta de Cristiane Yared, mãe da vítima Gilmar Yared