No trânsito, você pode se tornar um criminoso num piscar de olhos

Maio-Amarelo1

Em nenhum outro ambiente do nosso cotidiano, o limiar entre o bem e o mal é tão tênue quanto no trânsito. Mesmo que você seja a pessoa mais ilibada, honesta e exemplar da face da Terra. Basta um descuido ao volante e tudo pode mudar, colocando-o sem dó no banco dos réus da Justiça Criminal.

E isso é mais comum do que parece, já que morrem cerca de 110 pessoas todos os dias nas vias brasileiras – a maioria, vítimas de terceiros.

Sendo assim, em uma conta conservadora, pelo menos 70 motoristas acordam todos os dias como “pessoas de bem” e vão dormir como criminosos – sejam eles enquadrados em crimes culposos (sem intenção de matar) ou dolosos (quando há a intenção).

Lei Seca mais rigorosa

A partir desta quinta-feira (19), entra em vigor a Lei 13.546, que aumenta a punição para os crimes de trânsito cometidos por motoristas embriagados, que são enquadrados como dolosos (ao beber, assumiu o risco de matar).

A pena da Lei Seca para os condutores que causarem lesões graves ou gravíssimas passa a ser de 2 a 5 anos de prisão (ante os 6 meses a 2 anos anteriores). Se o acidente for fatal, o tempo de reclusão passa a ser de 5 a 8 anos (ante os 2 a 4 anos da lei anterior).

Pecha de criminoso

Particularmente, apoio a decisão de aumentar as penas, mas acredito que a medida tenha pouca eficácia. Isso porque o motorista brasileiro, infelizmente, ainda não se conscientizou do quanto somos vulneráveis no trânsito. E que a prevenção ainda é a melhor maneira de nos mantermos ilesos em um ambiente tão hostil.

Por isso, pense duas vezes antes de beber e dirigir, passar um sinal vermelho, andar acima do limite de velocidade ou fazer uma conversão proibida. Alguns segundos economizados podem se transformar em anos de dor de cabeça. E o pior de tudo: deitar a cabeça no travesseiro e acordar todos os dias com a pecha de criminoso.